A Nobre casa de Guedes

Este blog não poupará as mentiras de Nobre Guedes e os crimes da rede que anos a fio mercadejou ruínas, terrenos e almas, de forma absolutamente impune. A legalidade exemplar de Guedes é um exemplo vergonhoso de violação das leis, do decoro e da inteligência. A cultura de poder deste turiferário da extrema-direita fede e a prosápia nauseia. Leia este blog com lenço à mão...

20.11.04


RIBEIRO TELLES PÕE O DEDO NA FERIDA

Folheando recortes por arquivar fui dar com este, onde numa bela e serena entrevista aquele que a revista National Geographic, na sua edição em português, chamou "O Arquitecto dos Sonhos", em entrevista ao Oninet, explica porque é que a falta de auto-estima é a grande inimiga do Ambiente.Estava ele longe de imaginar quando disse tais coisas que um dia a pasta seria posta nos pés de Guedes, o Arquitecto das demolições (que só servem de cortina de fumo para tapar o negócio da Mata de Sesimbra e outros que são a alma da missão "Portugal em saldo"). Leia-se esta delícia e pense-se que daqui a bem pouco tempo Guedes volta à advocacia dos interesses:

GRT - Há um decreto de 1993, do governo de Cavaco Silva, que regulamenta a criação das áreas da Rede Natura. E este decreto tem um artigo que diz mais ou menos isto: durante o tempo em se está a criar o parque, tem que se nomear uma comissão para o gerir e, num determinado intervalo de tempo, é preciso fazer-se um plano de ordenamento da área, seja esta um parque, seja uma reserva. Se, ao fim desse tempo, não estiver concluído o plano de ordenamento, cessa a classificação de parque ou reserva.

E que resultados teve isso?
GRT - Em treze parques e reservas já cessou a classificação. E só agora, um ano depois, é que se deu por isso. Para remediar, fizeram a correr uma lei retroactiva. E isto aconteceu porquê? Porque as pessoas que dirigiam os parques não estavam preparadas para fazer esses planos de ordenamento. Não era do âmbito da sua formação. E como não queriam, corporativamente, dar o "braço a torcer", sucedeu isto. A Arrábida esteve um ano em roda livre, onde se fez de tudo. Agora não sei é como, retroactivamente, se vai conseguir reparar tudo isso.

Como devemos interpretar esta falha?
GRT - Corporativismo, lucro, rotina, incapacidade, e falta de auto-estima.

Texto integral aqui.