A Nobre casa de Guedes

Este blog não poupará as mentiras de Nobre Guedes e os crimes da rede que anos a fio mercadejou ruínas, terrenos e almas, de forma absolutamente impune. A legalidade exemplar de Guedes é um exemplo vergonhoso de violação das leis, do decoro e da inteligência. A cultura de poder deste turiferário da extrema-direita fede e a prosápia nauseia. Leia este blog com lenço à mão...

23.11.04

DEPOIS DO SILÊNCIO...A OPERAÇÃO «ARRÁBIDA LIMPA»

Teve grande (e justificada) repercussão nos media, a acção que a PJ levou a cabo no dia 22 de Novembro,, no quadro das suas investigações sobre as ilegalidades na Arrábida.
É objectiva a síntese feita pelo Correio da Manhã, que tem acompanhado com grande atenção o caso da Nobre Casa e feito boas investigações sobre o mosaico de ilegalidades que tem vindo a ser construído ao longo de muitos anos no desgraçado Parque natural.

Sob o título «ARRÁBIDA NA MIRA DA PJ» ( com antetítulo «Judiciária fez buscas a serviços camarários e casas de fiscais»), escreve Edgar Nascimento:

«O cerco começou a apertar-se para os alegados responsáveis pelas irregularidades nos licenciamentos aprovados para o Parque Natural da Arrábida (PNA). Na manhã de ontem a Polícia Judiciária (PJ) fez 19 buscas, nos serviços da Câmara Municipal de Setúbal (CMS) e em domicílios de pelo menos três fiscais da autarquia.
Em causa estão irregularidades detectadas pela Inspecção-Geral do Ambiente à gestão do PNA, no período de 1998 a 2002 e que terão levado a mais de 300 irregularidades, entre falsificação de documentos, violação das regras do Parque, falta de fiscalização ou inacção face às construções ilegais.

«A Polícia esteve numa divisão dos nossos serviços, onde recolheu elementos importantes para a investigação», explicou Aranha Figueiredo, presidente em exercício da CMS (Carlos Sousa só hoje regressa do Brasil, onde esteve em missão empresarial).

O também vereador de Urbanismo da autarquia setubalense reconheceu ao CM que «há algum tempo que a Câmara vinha manifestando preocupação por a investigação parecer um pouco parada».
[NB: esta preocupação de AF é uma novidade total, esteve na mais completa clandestinidade até agora, uma vez que aúnica preocupação evidenciada pelo autarca foi a de benzer a suposta legalidade do licenciamento da vivenda Guedes; não se lhe conhece nenhum gesto no sentido de escavar o dossier das ilegalidades ...em qualquer período, anterior ou posterior ao início do seu mandato).

O autarca defendeu que «a maioria dos trabalhadores não têm nada a ver»com a investigação e buscas realizadas na manhã de ontem. Aranha Figueiredo expressou mesmo a convicção de que «se deve condenar os que forem culpados» e não descartou, caso sejam apuradas responsabilidades políticas, investigação aos executivos camarários.
[NB: outra novidade; pode encontrar neste blog declarações de AF no sentido de que haveria uma cabala montada pelos odiosos proprietários de clandestinos contra o impecável executivo sadino; essas urdiduras, inventonas e similares desaparecem de súbito e, numa corrida para apanhar o combóio, AF apressa-se a mostrar disponibilidade para investigar executivos camarários - assim mesmo no plural, et pour cause. Claro que se trata de uma coisa tardia e redundante: a PJ pode investigar o que quiser, sem necessidade de pedir licença e disponibilidade dos investigandos...O gesto, sendo redundante, trai preocupação - diga-se que compreensivelmente!).


MORADORES SATISFEITOS

«Satisfação e esperança», são os sentimentos da Associação Pela Arrábida. De acordo com o vice-presidente da entidade que representa os moradores da Arrábida, Rui Passos, a acção da PJ «era há muito esperada e desejada», mas «não se pode ficar só pela arraia miúda».

Questionando o porquê de não ser divulgado todo o relatório da Inspecção-Geral do Ambiente « cujo resumo foi divulgado em Outubro» , Rui Passos critica a «gestão danosa de 30 anos». «Há a esperança de que se avance para uma operação mãos-limpas», expressou o morador da Arrábida, que realçou no entanto que «não é apenas a autarquia de Setúbal que deve ser investigada, mas também Palmela e Sesimbra».

O CM contactou a direcção do Parque Natural da Arrábida mas a directora, Madalena Sampaio Lourenço, esteve incontactável. Segundo os serviços do PNA, a dirigente vai passar a semana «em reuniões por causa do plano de ordenamento» do Parque.

O CM também contactou o Instituto de Conservação da Natureza, organismo com a competência de agir a nível disciplinar em relação aos funcionários e dirigentes do PNA, para além da identificação das casas em situação ilegal. Até ao fecho desta edição não foi obtida qualquer resposta.

19 BUSCAS

A Polícia Judiciária confirma que materializou dezanove buscas no âmbito de um inquérito relacionado com criminalidade económico-financeira que corre termos no Departamento de Investigação Criminal de Setúbal. As investigações irão prosseguir», lê-se no comunicado difundido ontem pela PJ.
[ O texto integral é o seguinte:Buscas domiciliárias: esclarecimento - 2004/11/22: Face aos pedidos de esclarecimento que têm sido formulados, a Polícia Judiciária confirma que materializou, no dia de hoje, dezanove buscas no âmbito de um inquérito relacionado com criminalidade económico-financeira que corre termos no Departamento de Investigação Criminal de Setúbal.As investigações irão prosseguir»].