A Nobre casa de Guedes

Este blog não poupará as mentiras de Nobre Guedes e os crimes da rede que anos a fio mercadejou ruínas, terrenos e almas, de forma absolutamente impune. A legalidade exemplar de Guedes é um exemplo vergonhoso de violação das leis, do decoro e da inteligência. A cultura de poder deste turiferário da extrema-direita fede e a prosápia nauseia. Leia este blog com lenço à mão...

15.10.04

O ministro do Ambiente manifestou- se no dia 13 "muito satisfeito" com o comunicado da Câmara de Setúbal, onde a autarquia garantiu a legalidade da sua casa na Arrábida embora condicionando a atribuição da licença a alterações na propriedade.

"Nada melhor que um comunicado da Câmara de Setúbal para explicar que se tratou de um processo exemplar do princípio ao fim", disse Guedes, questionado pelos jornalistas à saída de um debate no Parlamento sobre a refinaria de Leça da Palmeira, em que esteve mudo (falou Barreto, para mostrar quem manda e quem fica de boca fechada na bancada do Governo)

Guedes referia-se ao inédito comunicado divulgado na página da Internet da Câmara de Setúbal, em que os antigos clientes de Guedes juraram a legalidade de todo o processo da casa do ministro do Ambiente, anunciando embora que a emissão da licença de utilização está dependente de um projecto de alterações de dois telheiros e de um depósito de gás que não estão de acordo com o projecto inicial (tema já dissecado num post deste blog).

Guedes disse: "Naturalmente que faremos as alterações necessárias e dentro de um ou dois meses tudo estará resolvido", O "naturalmente" é natural em Guedes. Tendo construído à surrelfa os tais telheiros, logo que apanhado acha natural ser apanhado e jura que tudo se resolve daqui a meses (diz logo quantos, como se mandasse na câmara, oops!)

O ministro pôde ser visto nas TV's a vociferar a sua "resolução inabalável" de demolir todas as casas que se encontrem em situação irregular no Parque Natural da Arrábida e prometeu para breve novidades sobre o assunto.

Finalmente disse uma frase-chave que revela o incómodo que sente em ser confrontado com uma catadupa de revelações sobre os ses expedientes e ilegalidades:

"Espero que as próximas notícias sobre casas na Arrábida sejam daqueles que não possuem uma única licença",

Mas pode ser que as próximas notícias sejam sobre as razões por que simulou ter comprado o seu hectare de terra com ruína "de 168m2" por 20 mil contos, defraudando o Fisco numa bela maquia.Um tema para a nova polícia fiscal do Ministro Bagão...

1 Comments:

Anonymous Anónimo said...

intiresno muito, obrigado

21 de novembro de 2009 às 01:57  

Enviar um comentário

<< Home